segunda-feira, janeiro 16, 2006

palavras II



As palavras brotam do meu ser
Emergem como pingos gelados
Fragilizam e corroem
Como se tratasse de um acto desespero
Ou um vulcão em iminente explosão
Só sei…
Que elas brotam desencadeadas
Desenfreadas, como prisioneiras
De longa data esperassem tal sentença.
Culpadas? Inocentes? Quem sabe?
Só sei…
Que elas brotam.

3 Comments:

Anonymous oaoj said...

" As palavras" tão fácil de dizer ou escrever...mas como é imenso...como é infinito o seu poder de descrição de compararação...mas a verdade...elas são culpadas...elas são inocentes...

9:25 da manhã  
Anonymous Insolente said...

ainda bem... a liberdade das palavras tanto nos deu e vai continuar a dar... pelo amor às palavras... ora então um grande bem haja

6:12 da tarde  
Blogger alexiaa said...

Há beijos que calam as palavras, e apagam as duvidas!
Um beijo

3:38 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Escreva!
Escreva!