sábado, dezembro 24, 2005

Expectativa



Senti bater à porta levemente
E acordei desta minha letargia
Aguardando que batam novamente
Ansiosa por saber quem seria

Na expectativa, passei longas horas
Esperando em ansiedade crescente
Que quem bateu não se tenha ido embora
Sem que tenha batido novamente

Mas em vão, nunca mais ninguém bateu
E de novo meu corpo adormeceu
E o pior fico sem saber quando

Voltarás á minha porta a bater
E o meu coração possa assim saber
Que na verdade não estava sonhando…

Eis que então dei por mim a brincar
Em ti sem medo de parar…
Será que ainda me vês com olhos de criança?
Nunca perco essa esperança…
Feliz natal….

4 Comments:

Anonymous Muito atento said...

Vez (do verbo ver) não é com "z"....
Beijinho

11:07 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

E eu aqui na expectativa de saber quem era..... na esperança incerta... imensa é a decepção que me visita diáriamente... imensa é a expectativa de te ler, dizeres..... "amo-te"...

assinado : Um amigo que ama a tua amiga!

5:17 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

de uma amiga, felizmente que ele bateu à porta outra vez, entrou e ficou, se Deus quisere nós também, para sempre.


Amélia santos

11:16 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Expectativa...expectativa...expectaiva...(tentando assimilar o som e o significado...). Palavra que decididamente não pronunciarei...sabor amargo, cheiro a Inverno, aspecto tosco e mais grave que tudo isso tem efeito secundário... AVC!

2:19 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Escreva!
Escreva!